BLOG

Job Dabdog

Abrirei esse espaço para contar um pouco de algumas sessões e detalhes técnicos, para quem se interessa pelo assunto. No dia 18 de dezembro fizemos um grande trabalho e abaixo, relatarei como foi todo o processo. Espero que gostem!


Há coisa de um mês e meio fui convidado para fazer um job de fotos para a marca de roupas e acessórios, Dabdog. Meu contato foi o Bruno Palma, da agência Grupofreela.com. Escolheram a locação e duas modelos já estavam no gatilho para posar: Steh Silva e a fotógrafa / modelo Tha Matos. O local escolhido foi na cidade de Atibaia, no interior de São Paulo, em uma mansão linda, ao topo de um morro em um condomínio fechado, com uma bela vista.


Nesse hiato, convidei a modelo Giovanna Chiaroni para me assistir, já imaginando a possibilidade dela posar. Ao ver o perfil da moça, a equipe decidiu que ela realmente precisava posar também, e entrou no jogo. Zarpamos às 10h da manhã de São Paulo, e às 12h estávamos organizando tudo por lá, escolhendo maquiagem, roteiro e ordem das roupas. Também no set fotografaria dois caras, usando os produtos e as roupas masculinas. Os modelos Wellington Ribeiro e Francesco Oropallo.


O importante nesses tipo de trabalho é se organizar ao máximo antes, para não perder tempo e deixar material de fora. Com ajuda da Bruno, decidimos aproveitar a luz que estava boa e difusa, para fazer as externas, em princípio. Roupas esticadas na cama, com os tamanhos separados, começamos as fotos. Vale ressaltar esse tipo de atenção aos detalhes, para não deixar passar nada, então a organização inicial pode parecer perda tempo, mas acreditem, poupa muito trabalho depois.


Destaco que no set haviam mais pessoas: responsáveis pela marca Dabdog, pessoas ajudando na logística, faxineira, pessoal fazendo churrasco. Em um ambiente de ensaio sensual, muitas pessoas podem causar constrangimento às modelos.


O meu briefing com o Bruno foi: "queremos fotos da marca com o seu (meu) olhar!". Então eu iria passar para eles um sensual com atitude. Como era com o meu olhar, deixei claro que não haveria fotos de mulheres submissas. Não trabalho com isso. Também chamei as meninas de canto e expliquei para elas que a decisão final de usar ou não determinada roupa e pose, partiria delas. Já que era nos meus moldes, coloquei em prática também a liberdade de decidirem os limites do que fariam ou não, embora elas já tivessem sido instruídas da linha que a sessão tomaria.


Tecnicamente, levei três lentes primes para a Nikon: Nikkor 20mm f 1.8, e as Sigmas ART 35mm f 1.4 e 50mm f 1.4. Para Sony, levei uma 50mm f 1.8, como equipamento reserva. Levei um ring led e flash Godox com sombrinha. Fotos de grupos, na externa, usei abertura de f 5.6, para manter um bom foco em todas meninas e ter um nível aceitável de desfoque, conforme foto abaixo.

Gigi, Steh e Tha

Em algumas fotos em mesa, com o grupo completo, usei a 20mm da Nikkor, para dar uma maior dramaticidade à cena, e utilizei aberturas menores, como f 11, para garantir foco bom em todos os presentes.

Time reuinido em 20mm e abertura f 11

Além disso fizemos fotos individuais, mostrando sempre frente e verso dos produtos, em alguns shoots repetidos, para garantir sempre a presença do logotipo da marca Dabdog nas camisetas, bermudas e meias. Confesso que para mim foi bem puxado, uma vez que comecei a fotografar, lá pelas 12h30min, e só fui parar às 19h. Eventualmente peguei uma fatia de carne ou linguiça, que saía do churrasco, mas não queria parar, pois sabia que tinha muito material para produzir e eu estava quente. Carregando 2kg o tempo todo na mão (Nikon D610 com grip e sigma ART 35mm ou 50mm), foi um bom teste para meus ombros e braços, além de sempre estar agachando, levantando para fotografar. Importante ter de alguma forma, um preparo para esse tipo de situação, porém, ao final do dia, quem sempre cobra a conta é a lombar.


O sol até resolveu das as caras no final da tarde, quando peguei uma mini série de sol batendo no rosto das meninas. Em momentos de fotos com cigarro e fumaça, abusei do modo Burst (disparo contínuo), pois o formato da fumaça densa é mera sorte. Já no escuro, queria deixar uma sensação de amizade e o clima entre os modelos ajudou. Passei a usar aberturar de f 2.8, focando em uma pessoa e desfocando as outras, dando a sensação de primeira pessoa, como se eu estivesse inserido no grupo dos amigos, fumando e me divertindo. Apenas para foto posada, com o cinco sentados, que usei o flash e sombrinha, conforme podem ver na foto abaixo.

Gigi, Fran, Tha, Well e Steh com flash e sombrinha

Em um set desses, com muitas pessoas, a equipe toda deixou às meninas muito confortáveis, mesmo com elas usando biquíni ou camisetas sem sutiã. Fiquei sempre atento para qualquer tipo de vacilo, e felizmente, não notei nada e não me relataram nada. Como JR Duran já disse, o fotógrafo é o capitão de uma sessão, então é necessário sempre estar atento às fotos, reações dos modelos, da equipe e qualquer imprevisto tem que ser controlado.


Foi uma tarde de muito trabalho, que rendeu quase duas mil fotos, muitas risadas e dores nas costas. Ao final, paramos no Mc Donalds na estrada e debulhamos lanches. Valeu cada instante.

Fernando De Santis - Todos os direitos reservados

fotografia | sensual | ensaio