top of page

BLOG

BLOG

BLOG

Pensando em virar criadora de conteúdo?


Jenni
Jenni

Durante a pandemia houve um grande interesse no mercado de venda de conteúdos de fotos e vídeos. Uma boa parte das moças aderiram à criação de conteúdo por terem perdido um emprego e encontraram nessa segmento uma forma honesta de ganhar dinheiro.


Ao mesmo tempo, muitas pessoas que gastavam dinheiro saindo, indo para bares e festas, começaram a buscar formas de se divertir em casa, e então surgiram os consumidores desse tipo de conteúdo (os assinantes de plataformas de conteúdo).


Mas ao mesmo tempo em que parecia ser algo viável (e rentável), muitas dificuldades desse tipo de trabalho ficaram camufladas em promessas de prosperidade. Nesse artigo, procuro contar um pouco do que eu vejo que as criadoras de conteúdo encontram no dia a dia, para você que pensa em entrar nessa área ponderar.


- É trabalho //

Se é trabalho, logo, exige horas de esforço e criação. No seu trabalho "normal" você dedica-se oito horas por dia, e para criar conteúdo você precisará fazer algo intenso da mesma forma, seja criando fotos, vídeos, prospectando assinantes, fazendo networking, postando em diversas redes sociais, atualizando as suas plataformas, tratando fotos e editando vídeos, procurando parcerias de outras modelos, de fotógrafos, de locações...


Gabrieli Dortt
Gabrieli Dortt

- O conteúdo pode vazar //

Por mais que seu conteúdo esteja em um site fechado, com senha, algum assinante pode vazar o seu conteúdo e você terá que saber como lidar com isso, acionando sites que estão publicando seu material sem autorização, tendo advogado para te ajudar, etc.


Vale lembrar que esse material vazado pode aparecer na sua vida daqui a 10 ou 20 anos, ou mais, basta estar na internet para que um dia alguém encontre e volte a posta-lo, para que esse conteúdo possa te assombrar daqui a décadas. Saiba então que o conteúdo que você fizer hoje, tem o risco de ficar no ar para sempre, mesmo que você tire-o do ar. Considere isso pensando no seu EU do futuro.


- Você não ficará rica logo //

Antes do boom das vendas de conteúdo era comum ouvirmos "Fulana ganha 200 mil por mês!". Claro, existem moças que ganham isso ou mais, mas são algumas mais famosas ou outras completamente fora da curva, que conseguiram se destacar mais do que as outras. Mas acaba sendo a exceção. Então é importante saber que você não ficará rica logo de cara (e muito provavelmente não ficará rica tempos depois com esse trabalho), mas ganhará um dinheiro que muitas pessoas no Brasil não imaginam ganhar em um mês.


- Não se compare //

"Ah, mas Fulana já tem 500 assinantes em menos tempo e eu não!" - se você for se comparar às outras criadoras de conteúdo você vai desenvolver um quadro de ansiedade. Cada uma tem a sua história, os seus contatos, o seu tempo de investimento, a grana de investimento, o talento individual, a beleza caracterísrtica e a sorte individual. Cada uma tem seu tempo.


Bibiane Haag
Bibiane Haag

- Você precisará ser criativa //

É um trabalho de criação, logo, imagina-se que envolve a criatividade. Só colocar uma foto sua nua, pode chamar atenção no começo, mas se sempre for da mesma forma, não há motivos para renovar a assinatura com você, então pense em formatos novos, produções novas, parcerias novas, histórias novas para causar o interesse e curiosidade por parte dos seus assinantes.


- Assine contratos //

Os contratos são segurança para você e para as pessoas que trabalham com você. Não seja refém de alguém com direito da sua imagem sem contrato ou com prazos indefinidos. Cuide da sua imagem, estabeleça prazos, limites, e coloque isso nos seus contratos.


- Não faça nada que você considere que possa te prejudicar no futuro //

Se você tem alguma dúvida se determinado estilo de fotografia ou vídeo possam te prejudicar no futuro, pense bem antes de fazer. Como disse no primeiro item desse artigo, uma vez na internet, estará na internet para sempre. Então não faça nada que você julgue que possa te prejudicar num futuro. Pense bastante antes, pense nas consequências que o trabalho de criadora de conteúdo pode acarretar em um futuro trabalho que você esteja vislumbrando, ou com problemas familiares que você possa enfrentar a curto e longo prazo.


- Vender conteúdo abre portas //

Vender conteúdos pode ser o cartão de visitas para outros trabalhos. É comum uma criadora de conteúdo inclinar o trabalho para ser modelo, de repente modelo agenciada, trabalhar em programas de televisão como assistente de palco, atriz de pegadinhas ou Teste de Fidelidade, etc. As criadoras que são mais articuladas acabam sendo convidadas para outras carreiras.

Estou decidida a fazer!

Existem criadoras de conteúdo ou empresárias(os) que assessoram criadoras de conteúdo, dão cursos, ajudam a entrar nesse mercado de trabalho. Se tiver cheia de dúvidas, se não souber por onde começar, procure esse tipo de suporte. Vale a pena conversar com outras criadoras de conteúdo e pessoas do meio, para entender um pouco mais o mercado e tirar dúvidas. E se possível, tente ser o mais transparente com as pessoas que você ama, contando os seus planos e desejos em começar com a carreira de criadora de conteúdos.



Comments


bottom of page